Reflexão

A vejo como uma criança

Eu a vejo como uma criança mimada, desejando ter coisas, fazendo birra por não ter.

Mas ela tem 27 anos, já é casada, não trabalha fora, não cozinha, não limpa a casa sozinha.

Ela é bissexual, e vive cheia de desejos por mulher, seu marido é homem. Eita homem paciente, tem ouvir ela afinando a voz para falar com ele como se fosse conversar com um bebê.

Ele faz quase todas as vantagens dela, mas está endividado por fazer tantos gostos dela, parece cansado mas continua lá.

Aos meus olhos, parece uma relação fraca, cada um no seu canto, cada um com sua distração. Mas pouco sei da vida deles, prefiro não comentar…

Ela diz para todos que sofre, mas esbanja sorrisos, parece ter a inocência de uma criança, mas é cheia de malícia.

Ela tem toc, transtorno de ansiedade e síndrome do pânico.

Anúncios
Reflexão

Não consigo terminar

Existem vários começos, várias ideias. Mas é sempre desanimo na metade do caminho. Algumas vezes por esperar apoio das pessoas que amo, outras por não conseguir me concentrar, outras por simplesmente desanimar.

É difícil manter o foco, ir adiante em uma decisão… Difícil expressar aquilo que estou sentindo.

desabafo interno · Reflexão

O medo do fracasso

Não gostar do que faz e não fazer ideia do que fazer da vida. Um vazio eterno, como se apenas estivesse existindo e não vivendo.

Acredito que todos tem uma missão aqui na terra, o fracasso seria não descobrir o real motivo da existência.

Algumas pessoas tentam dizer o que preciso fazer, mas sou eu quem decido. Não preciso fazer aquilo que todos fazem, sim aquilo que meu coração pede.

Algumas ideias surgem na minha mente, mas parecem estar tão distante da realidade.

O medo de não chegar a nenhum lugar me consome constantemente…

Reflexão

Apática

Para ela tanto faz, pergunte o que quiser. Ela não tem opinião. Na verdade tem, mas está exausta demais para demonstrar qualquer tipo de interesse.

Dentro dela existe uma dor muito grande, um desejo de morrer para acabar com todo sentimento incontrolável. Mas ela não demonstra nenhuma reação.

Às vezes é um pouco grossa, está irritada e muito cansada. E as amigas insistem em achar que pelo fato de estar sempre quieta, é uma boa ouvinte. Ela simplesmente diz ” tanto faz”, ela se importa… Mas está exausta.

Ela não consegue suportar o peso da própria mente, a relação ruim com os pais, a compulsão por comprar, o desejo de se arrumar e não ter ânimo.

Ela é considerada corajosa, mas está no próprio limite.

Ela ama um cara maravilhoso, mas os pensamentos são diferentes. Ele é bipolar, ela não sabe como ajudar, ele se isola…

Desabafos · Reflexão

Vitimização

Aquela sensação de cansaço, por tentar ajudar alguém com sérios problemas psicológicos. Não ter certeza se ajudar seria o ideal, pois toda energia ruim é absorvida pela minha mente.

Tento ser compreensível, pois é uma dor que não sinto, não faço ideia de como é.

Ao mesmo tempo, sinto que a pessoa usa a doença para se auto beneficiar. Como se ela gostasse de ser a coitada, que ninguém ajuda, ninguém a compreende.

Depois gera, uma sensação de egoísmo por pensar dessa maneira.