auto estima

Ser auto suficiente

É preciso trabalhar a auto estima, saber o quanto somos suficiente para nós mesmos. Mas é necessário ficar tentando provar para o mundo o tempo inteiro que é auto suficiente?

Anúncios
auto estima · Estilo de vida

Preciso mesmo emagrecer?

Não deveria, mas vivo em uma luta constante. Há momentos que quero emagrecer e outros que quero engordar. Há momentos que me preocupo com a celulite e outros que me preocupo com estrias… 

Também há momentos que estou feliz com meu corpo, me acho perfeita. 

Depois de engordar 7 kg e ganhar uma barriguinha, perder todos meus jeans, veio o desejo de emagrecer. Mas para 1.67 de altura e 61 kg, meu peso é normal. Seria obsessão da minha parte por um corpo perfeito?Influenciado pelo padrão de beleza atual, ter coxas grossas, bunda grande, zero barriga e cinturinha fina. 

Não ser perfeito gera frustações e problemas de baixa autoestima, é preciso se aceitar do próprio jeito e ser menos incanada por um corpo x, o melhor corpo é aquele que tem uma pessoa feliz dentro. 

auto estima

Baixa autoestima 

Talvez eu tenha um pouco disso, já me disseram isso. Mas lá no fundo eu nunca quis acreditar, assim como relatei no post sobre autoestima mascarada.  

Sei que já agi daquela maneira, mas sei que é nisso que devo trabalhar e posso melhorar. Ao ler alguns comentários contra tudo que eu disse, me senti mal, então resolvi fazer uma série  sobre autoestima. 

Vamos entender o que é exatamente ter baixa autoestima. 

Características da baixa autoestima:

Insegurança, perfeccionismo, incertezas, falta de confiança na própria capacidade, medo de errar, busca incessante de reconhecimento e aprovação… 

Gatilhos para baixa autoestima:

Críticas, autocrítica, culpa, abandono, rejeição, carência, frustação, vergonha, inveja, timidez, insegurança, medo, raiva, humilhação, perdas, dependência emocional e financeira. 

Muitas vezes achamos que autoestima é só sobre aparência, mas é muito mais que isso. 

Lembrando que o intuito não é julgar atitudes e sim ter o entendimento necessário para lidar com elas. 

Até mais… 

auto estima

Aceitação 

Quando resolvi assumir meu cabelo natural, foi em um momento de desespero. Fazia química em casa, troquei de produto ( foi um erro ) pois queria um melhor resultado, com o tempo o cabelo foi quebrando, até que um dia, tive um corte químico. Com medo de ficar careca, passei a consumir produtos para tratamento e fui influenciada por blogueiras, isso pode ser bom e ruim ao mesmo tempo. Bom, pelo que aprendi, foram várias dicas de como cuidar do meu cabelo e inspirações. Ruim pela pessoa consumista que me tornei, mas isso ocorreu pelo medo de ficar careca, não queria economizar.

Hoje vejo tudo com outros olhos, aceitação não é perfeição. Aprendi que cabelo cacheado pode ser bonito e saudável sem gastar horrores para ter vários cremes, cada um com uma função. Dá para manter a saúde dos fios, com apenas 4 produtos: co wash, creme de tratamento, creme de pentear e um óleo natural.